CONFRARIA • Filhos & Amigos de Arapiraca

NOTÍCIAS

09 de Janeiro de 2019 as 09:20

Pais apostam na compra de livros usados para economizar

Todo início de ano uma das maiores preocupações para as famílias “classe média” é a programação escolar que inclui matrícula, compra de material e livros. Em algumas escolas e a depende da série, o material didático chega a custar R$ 2.000 por aluno. Em tempos onde tudo vira grupo de WhatsApp e na tentativa de economizar, muitos pais optam pela compra e venda online de livros usados.

É o que faz  a advogada Ayana Falcão Hora. Ela é mãe de três filhos em idade escolar com 8, 12 e 15 anos e conta que os livros de cada um custam em média R$ 1.200. Há cerca de cinco anos ela aposta em trocar ou comprar livros usados e afirma que tem conseguido economizar R$ 2.500 por ano.

“Há cerca de cinco anos opto por comprar livros usados e surgiu pela necessidade de tentar minimizar os custos com os livros. Ainda mais pra quem tem 3 filhos como eu o custo é muito alto. Eu faço parte de dois grupos de livros usados do colégio onde meus filhos estudam. Ano passado deixei de comprar os módulos novos por R$ 1.200 em média e comprei seminovos por R$ 400”, revela.

Mesmo com a economia, Ayana diz que encontra muitas dificuldades, principalmente porque os livros precisam estar atualizados para servirem no ano letivo.

“É que de dois em dois anos todos os livros são reeditados, ou quando mudam mesmo e daí não tem como comprar usado. Quando têm adesivos e colagens daí é mais difícil reutilizar. Os paradidáticos consigo vender de novo, mas os módulos depois que usa dois anos não vendo mais, só doação”, explica.

O servidor público Remi Gomes é estreante no compra e venda de livros usados. Ele diz que soube por acaso dessa opção e acredita que fez um bom negócio.

“Uma mãe de aluno que está há mais tempo na escola me sugeriu o grupo. Falou que existia esse grupo de compra e venda de usados. Ela me incluiu no grupo e lá eu vendi os meus e comprei os outros para o novo ano”.

Após fazer os cálculos, Remi ressalta que economizou R$ 600,00 com as negociações.

A tradicional Feira de Livros do Sesc, que ocorria na capital alagoana há cerca de vinte anos e auxiliava muitos pais a economizar com o material não ocorrerá este ano. Segundo a assessoria de comunicação da instituição, a suspensão deve-se a questões estruturais.