Vila Materna: empreendedorismo feminino para o desenvolvimento de bebês

Espaço idealizado para estimular o desenvolvimento de bebês de 0 a 4 anos de idade, a Vila Materna (@vilamaterna) nasceu há sete anos em Maceió a partir da percepção da empresária Letícia Barros e hoje oferta experiências únicas para os pequenos, tornando-se referência na atenção e educação aos bebês. Com o nascimento de seu segundo filho, Caetano, ela viu uma oportunidade de oferecer a outras mães um espaço para que elas pudessem acompanhar o crescimento dos filhos a partir de brincadeiras e atividades lúdicas.

Durante o primeiro ano de vida de Caetano, a empresária foi planejando o que seria o espaço e foi criando o modelo de negócio que já contou com diversas mudanças. Para auxiliar nesse aspecto, Letícia contou com o apoio de consultorias do Sebrae Alagoas.

“Começamos como uma casa de brincar e tínhamos até uma loja com curadoria de roupas e brinquedos pedagógicos. Desde o início, o Sebrae me deu todo apoio em áreas como gestão, auxiliando no plano de negócios, finanças e marketing. Foram muitas idas até lá para aprender como gerenciar meu negócio”, revela Letícia.

Foi somente em meados de 2017 que a Vila Materna se transformou em uma instituição educacional para bebês e crianças pequenas. Letícia criou um programa próprio que proporciona oportunidades de desenvolvimento e investiu em capacitação constante de profissionais

“Tenho muito orgulho de dizer que nosso crescimento foi muito além das expectativas. Com muito empenho, debrucei-me sobre o estudo de uma abordagem pedagógica específica para a faixa etária e desenhei um formato que combina opções diversas de frequência e horários para atender às diversas necessidades das famílias e crianças. O resultado disso vemos na evolução das próprias crianças”, afirma a empresária.

De acordo com Letícia Barros, a Vila Materna amadureceu com o apoio do Sebrae. Com o crescimento rápido da empresa e modelo de negócio inovador, a empresária dominava o projeto pedagógico, mas ainda sentia que a gestão não seguia o mesmo ritmo.

Após as consultorias na área de gestão e finanças, nos anos de 2018 e 2019, a Vila Materna passou a quadruplicar a quantidade de crianças atendidas. Hoje, o espaço tem cerca de 90 bebês de zero a quatro anos matriculados. Letícia prepara a expansão da empresa para atender 120 crianças e já conta até com lista de espera para interessados.

“Contar com o apoio dos consultores do Sebrae foi determinante para nosso negócio. Já fizemos consultorias para a área de precificação, gestão financeira, procedimentos operacionais, desenvolvimento de colaboradores, entre outras. Continuo contando com esse apoio e sou especialmente grata ao atendimento das analistas

Anissélia [Nunes] e da Adriana [Spenner], que sempre me encaminharam às consultorias certeiras para meu sucesso”, conta.

Desafios da mulher empreendedora

Letícia revela que começou a empreender em 2009, quando começou a investir em uma marca de carregadores infantis. Esse foi o elo para que a empresária se aprofundasse mais nos estudos com bebês, crianças pequenas e educação. Segundo ela, a mulher passa por diversos desafios ao empreender, o que requer esforço maior para dar conta da vida profissional, principalmente quando se tem filhos. Além de Caetano, Letícia também é mãe do jovem Daniel, de 20 anos, e do pequeno Francisco, de cinco.

“Empreender é ainda mais desafiador porque exige muita dedicação. Precisei e pude contar com uma rede de apoio para que isso fosse possível, mas muitas mulheres não podem. Acho que falta uma política de suporte melhor, que inclusive alerte para a responsabilidade compartilhada do gerenciamento doméstico e educação dos filhos, que normalmente ficam a cargo da mulher. É preciso que sejamos realistas sobre a dificuldade que a mulher enfrenta ao empreender, porque de forma geral, esse sucesso quando alcançado, embora seja motivo de muito orgulho, ainda é um tanto romantizado”, pontua Letícia.

Segundo ela, o Sebrae também tem ajudado no incentivo ao empreendedorismo feminino em Alagoas. “O apoio do Sebrae é muito importante. Há muitas mulheres com projetos incríveis e pouca estrutura para levá-los adiante. Poder contar com um espaço que vai ampliar seu entendimento sobre o negócio sem dúvida é um fortalecimento muito importante para as mulheres. Inclusive, sentir que eu podia contar com mulheres no Sebrae dispostas a me trazer soluções quase que imediatas para meu negócio foi muito valioso”, lembra.

Publicidade