CSA “esquece” vantagem para segundo jogo

Quando se joga um clássico, a vantagem mínima precisa ser considerada. Mas o CSA não quer pensar assim. O elenco azulino treinou domingo, treinou ontem e hoje faz os últimos preparativos no CT Nelson Peixoto Feijó. Amanhã às 20h, o time joga pelo empate para chegar à final do Campeonato Alagoano. Mas o adversário é o CRB. Maior rival e vivendo uma crise grande interna. Vários fatores que ligam o sinal de alerta no grupo marujo.

A vitória do CSA, por 1×0, contra o Galo no último sábado foi suficiente para deixar o time em vantagem no jogo da volta. O capitão do time tratou de finalizar esse discurso. Gabriel destacou a importância do resultado, mas alertou que ainda falta uma partida decisiva. “Clássico sabemos como funciona. Fizemos o gol e estamos com esse trunfo. Não tem nada definido, só quando o juiz apitar no final do próximo jogo”.

Gabriel foi substituído por Cedric, que fez o único gol do jogo. O meia comentou sobre a substituição e parabenizou a atuação do companheiro. “Foi uma opção técnica do Mozart e deu certo. O Cedric é um menino que merece demais, trabalha de uma forma absurda todo dia e nada mais justo do que ele fazer o gol”.

O time não deve ter mudanças. O zagueiro Werley foi atingido no olho, ficou sem enxergar por alguns momentos no último clássico. Ele foi ao oftalmologista e está tudo bem. Segundo a assessoria está liberado para os treinamentos. Mozart disse que não vai mudar esse estilo do CSA, é sua assinatura na formação da equipe.

“Nós temos um jeito de jogar e vamos continuar fiéis, é óbvio que fazendo ajustes. Precisamos tentar encontrar a melhor forma de jogar. Nós nunca podemos tirar o mérito do adversário, que também é muito bem treinado e tem bons jogadores. São jogos definidos nos detalhes, que nós temos que cuidar, competir e identificar o momento que o adversário está melhor para sermos concentrados, solidários pra marcar e, no momento que estivermos melhor, aproveitar as oportunidades, como aconteceu neste clássico”.

INGRESSOS

As entradas para o grande jogo estão sendo vendidas desde ontem A arquibancada alta custa R$ 50 (meia) e R$ 100 (inteira), com os mesmos valores para os visitantes. As arquibancadas baixas custam R$ 15 (meia) e R$ 30 (inteira), e as cadeiras valem R$ 100 (meia) e R$ 200 (inteira).

Os locais de venda são: Lojas do Azulão; Óticas Carol (Casa Vieira); Poly Sport (Centro); Óticas Carol (Shopping Pátio); Restaurante Pimenta de Cheiro; Arena Beach Play e as vendas online acontecem no www.futebolcard.com.

ARBITRAGEM 

A equipe de arbitragem está confirmada. Do Rio de Janeiro vem o árbitro Fifa Bruno Arleu de Araujo e o assistente Rodrigo Figueiredo Henrique Correa. Completa o trio o assistente Fabricio Vilarinho de Goiás. Na sala do VAR fica Rodrigo Nunes de Sá (RJ) e Daniel Espírito Santo.

ESQUECIDO

Em janeiro deste ano o assistente Fabrício Vilarinho foi destaque mundial em conjunto com o assistente Rogério Corrêa ao esquecer o equipamento para trabalho no jogo entre Chile e Argentina, válido pelas eliminatórias da Copa. Os árbitros deixaram no hotel a bandeira oficial entre outros equipamentos, que só foram chegar ao Estádio Zorros del Desierto no segundo tempo. Sendo assim, os dois assistentes foram suspensos por 4 meses das competições organizadas pela Conmebol, perdendo Libertadores, Sul-Americana e rodadas finais das Eliminatórias.

Publicidade