1ª Vara de Rio Largo pretende implantar programa de apadrinhamento na Comarca

A 1ª Vara de Rio Largo pretende implantar programa de apadrinhamento de crianças e adolescentes na Comarca. O assunto foi tema de oficina, na manhã desta segunda-feira (11).

Participaram do encontro integrantes do Conselho Tutelar, do Centro de Referência de Assistência Social (Creas), do Serviço de Acolhimento Institucional, além da equipe multidisciplinar que atua na Comarca e de servidores da 28ª Vara Cível da Capital.

“A equipe da 28ª Vara falou sobre o programa, que já funciona em Maceió. Explicou os tipos de apadrinhamento e trouxe relatos de um casal que apadrinha. Nossa ideia é implantar o projeto em Rio Largo ainda neste primeiro semestre”, afirmou a assistente social Glaucya Núbia Barros dos Santos.

Ainda segundo Glaucya, a equipe multidisciplinar deve conversar com a titular da 1ª Vara, juíza Marclí Guimarães de Aguiar, para definir os detalhes sobre a regulamentação do programa.

Apadrinhamento

O objetivo é proporcionar uma relação direta entre o padrinho e a criança ou adolescente, para a construção de laços afetivos, além de apoio material, profissional e financeiro. Informações sobre o programa que funciona em Maceió podem ser obtidas aqui.

Publicidade