Sem ajuda do poder público, Instituto Animal Esperança passa por graves problemas

O programa TC News da última terça-feira (12), mostra o drama vivido pelo Instituto Animal Esperança, no Village Campestre, em Maceió. As imagens dos vídeos feitos pela fundadora do abrigo, Mary Nogueira, em março deste ano, mostram as baias dos animais completamente alagadas durante o período chuvoso. Os cachorros ficaram totalmente ilhados, vulneráveis e correndo risco de contrair doenças, como a leptospirose.

O Instituto, que está há 10 anos em funcionamento, tem hoje 290 cães e 80 gatos. Graças aos funcionários que trabalham muitas vezes de forma voluntária, os animais são bem cuidados: vermifugados, recebem todo o tratamento necessário e os machos são castrados. Entretanto, sem nenhuma ajuda do poder público, o local vive apenas de doações e há 3 anos a responsável pelo abrigo não consegue arcar com o pagamento do aluguel. Agora, existe uma ordem de despejo para junho e outras dívidas se acumulam. “Nós gastamos por mês 17 mil reais de ração; nós temos uma folha de pagamento de 2 mil reais de funcionários porque não temos condições de ter mais do que isso; nós temos gastos com material de limpeza, medicamentos, veterinário e os recursos não chegam”, lamentou Mary.

Para não deixar os animais na rua, Mary conseguiu vagas temporárias no Abrigo São Cão e no Abrigo Adote Uma Vida. A força-tarefa agora é para conseguir recursos ou material para construir a estrutura necessária nesses locais para receber tantos bichos. Além disso, as doações precisam continuar para as despesas básicas dos gatos e cachorros.

No instagram @animal.esperanca é possível conhecer um pouco mais do trabalho do instituto e como contribuir com esses animais.

Publicidade