Vigilância de Zoonoses cuida de animais de grande porte recolhidos das ruas

A Unidade de Vigilância de Zoonoses (UVZ) de Maceió, localizada no bairro Cidade Universitária, tem o propósito de atuar no controle de zoonoses – doenças transmitidas entre animais e destes aos seres humanos. Além disso, a unidade garante a promoção e o bem-estar dos animais por meio de diversas ações, entre elas, o recolhimento de animais de grande porte errantes nas vias públicas da capital.

De acordo com dados da UVZ, somente em 2022 foram resgatados 189 animais de grande porte. Na maioria das vezes, o estado de saúde apresentado pelos equinos é comprometedor.

“O resgate de animais de grande porte vem acontecendo com frequência nas ruas de Maceió. Na maioria das vezes, encontramos animais muito debilitados, completamente abandonados. Essa situação oferece risco à população, tanto no sentido da possibilidade de acidentes de trânsito como também o risco de transmissão de possíveis zoonoses, doenças que podem acometer esses animais e, em contato com os seres humanos, podem transmitir a estes”, explica o zootecnista da UVZ, Jackson dos Santos.

Os equinos (jumento, burros e cavalos) andantes pelas vias públicas de Maceió, após serem recolhidos e darem entrada na unidade, recebem todos os cuidados necessários dos profissionais da UVZ. Eles passam, primeiramente, pelo Setor de Liberação de Animais de Grande Porte da UVZ. Logo após, recebem avaliação zootécnica (com zootecnista) e clínica (com médico veterinário), para que a saúde destes seja assegurada. Por fim, os animais são escriturados por meio da microchipagem e mantidos em baias individuais, alimentados a base de volumoso e ração concentrada.

Microchipagem 

A microchipagem é um serviço que identifica os equinos que já estiveram na unidade e também serve para o controle de informações dos animais, a exemplo da quantidade de vezes que o animal deu entrada na UVZ em consequência de maus tratos ou abandono de seu proprietário.

“Quando fazemos a captura deste tipo de animal, conferimos se ele é chipado. Caso não seja, nós realizamos a microchipagem, que é um sistema de identificação que nos possibilita ter um controle eficaz desses animais. Mesmo que a captura seja realizada, ainda existe a possibilidade de resgate pelo proprietário, no prazo de 10 dias. Esse o resgate pode ser feito duas vezes, na terceira vez o proprietário perde a posse do animal”, comenta o zootecnista.

Quando não há mais a possibilidade de resgate pelo proprietário, os equinos são destinados à adoção, que é feita para o interior do Estado. Previamente, é realizado um cadastro de pessoas que tenham interesse e comprovem as condições necessárias para acolher e cuidar do animal.

Lei Municipal 5.318/2003


A Lei Municipal 5.318/2003 garante o desenvolvimento de ações objetivando o controle das populações animais, assim como a prevenção e o controle de zoonoses na cidade de Maceió. Segundo o regulamento, no artigo 9º, “é proibida a permanência de animais soltos, bem como qualquer prática de adestramento nas vias e logradouros públicos ou locais de livre acesso ao público”.

Disque Denúncia e Whatsapp

Em caso de denúncias em relação a maus tratos, abandono ou captura de animais errantes, os maceioenses podem entrar em contato com a Unidade de Vigilância de Zoonoses por meio do telefone (82) 3312-5485 ou pelo WhatsApp (82) 98882-8240. O atendimento acontece de segunda a sexta-feira, das 8h às 16h.

Aos sábados, domingos e feriados, o horário de funcionamento é das 8h às 14h. Já o plantão volante acontece, também, de segunda a sexta-feira (exceto feriados), das 18h às 22h – apenas pelo telefone fixo.

Publicidade