Alagoano Adriano Ferreira recebe menção honrosa da Embaixada da Espanha

O trabalho reconhecido. Na quinta-feira (28), a Embaixada da Espanha no Brasil concedeu ao dirigente nacional do Movimento Trabalhadores do Campo (MTC), o alagoano Adriano Ferreira da Silva, uma menção honrosa pelo seu trabalho, por contribuir com o empoderamento feminino e a luta pelos direitos humanos.

De Igaci, Adriano Ferreira tem dedicado o seu tempo a luta camponesa, principalmente pela preservação da biodiversidade. “Temos sofrido tanta perseguição, criminalização do movimento, das lideranças. E aí vem um país europeu e reconhece o nosso trabalho. Isso mostra que estamos no caminho certo”, disse.

“Recebemos um premio da ONU em 2016 e vem esse agora, em um momento importante, quando estamos sendo atacados e perseguidos em Alagoas”, contou Adriano.

A premiação

Durante o evento na embaixada, cinco mulheres receberam o prêmio “Mulheres Rurais – Espanha Reconhece”, que é uma uma iniciativa do Escritório de Agricultura da Embaixada da Espanha desenvolvida em parceria com a Organização das Nações Unidas para a Alimentação e Agricultura (FAO), o Instituto Interamericano de Cooperação para a Agricultura (IICA) e a ONU-Mulheres.

O objetivo da premiação foi dar visibilidade a experiências coletivas, desenvolvidas por mulheres rurais em suas comunidades. Foram consideradas as experiências que tenham contribuído para a segurança alimentar, redução da pobreza e mitigação dos efeitos da pandemia na sua vida familiar, organização ou comunidade.

Marineide Santos, Raimunda Ferreira, Cleuza Fernandes, Maria Aparecida Ramos, Conceição Pereira foram premiadas. Elas, também organizadas no MTC, deram vida ao “Sabores do Cerrado”. O projeto beneficia polpa de frutas nativas para fabricação de doces, picolés e biscoitos por meio do extrativismo sustentável. Deu tão certo que logo veio o reconhecimento vindo de fora.

O projeto “Sabores do Serrado venceu em uma concorrência com 482 outros, de todos os estados e do Distrito Federal.

Marineide e Raimunda foram destacadas para viajar à Brasília para receber a premiação. O evento reuniu o embaixador espanhol, Fernando García Casas e diversas autoridades que apoiaram a iniciativa de reconhecer experiências e projetos produtivos de mulheres rurais. Foi das mãos de Anastasia Dimiskaya, da ONU-Mulheres, que as Panelinhenses receberam o tão merecido reconhecimento.

Publicidade