Após pandemia, Jornal de Arapiraca volta a circular semanalmente

A 216º edição do Jornal de Arapiraca traz uma novidade muito esperada no último ano: o único jornal impresso de Arapiraca voltará a circular semanalmente. Já são seis anos informando sem interrupção, o JA enfrentou diversos desafios para garantir que a informação chegasse aos arapiraquenses e toda a população alagoana.

Entre os desafios, um vírus que ceifou a vida de milhões de pessoas e nos obrigou a ficar longe das redações e do dia a da notícia, mesmo assim este noticiário impresso permaneceu informando sobre o Covid-19 e os principais assuntos de Arapiraca e região.

A partir da próxima edição, 217, o leitor pode esperar o mesmo comprometimento com a verdade, mas agora com mais frequência.

A notícia foi bastante comemorada pela equipe do JA, para o editor-chefe do jornal, Roberto Baía, o retorno semanal é a prova que  a força que o jornal impresso ainda é enorme. “É um orgulho produzir um jornal impresso em tempos de tecnologia e agora voltar a circular semanalmente. Apesar disso, constatamos que ainda existe espaço para o jornal impresso, muitos leitores aguardam pelo impresso para poder se informar”, ressalta o jornalista com mais de 35 anos de carreira.

O prefeito de Arapiraca, Luciano Barbosa, parabenizou o jornal pela resistência em noticiar os acontecimentos de Arapiraca, “quero parabenizar os diretores, editores e leitores do Jornal de Arapiraca por mais essa conquista, com a volta da edição semanal. Os meios de comunicação contribuem de forma decisiva para manter as pessoas cada vez mais informadas e ajudam qualquer administração pública no apontamento da solução para os problemas enfrentados pela sociedade”, destacou.

“Se de 15 em 15 dias já era bom imagine agora semanal, o Jornal Arapiraca é muito importante para o desenvolvimento de nossa região e na área cultural é um grande fomento e um apoio importantíssimo para divulgação da cultura local”, disse o Secretário de Cultura, Lazer e Juventude de Arapiraca, Wellington Magalhães.

A importância desse retorno é vista também por outros profissionais de comunicação do município, “grande alegria saber do retorno das publicações do Jornal de Arapiraca para edições semanais. Mais um reforço na comunicação de nossa cidade que é tão potente e precisa de veículos de imprensa sérios e responsáveis, que levem para a população assuntos de interesse e relevância. Parabéns a toda equipe e que seja um retorno de muito sucesso!”, desejou a coordenadora de comunicação da prefeitura de Arapiraca, Mônica Nunes.

O presidente da Ordem dos Advogados de Alagoas – subseção Arapiraca, Daniel Fernandes, destacou a relevância do periódico para os arapiraquenses. “Arapiraca ganha muito com um periódico voltado às notícias locais. Ter o Jornal de Arapiraca circulando semanalmente é, sem dúvidas, um ganho para a sociedade”, frisou.

Além de escritor, o provedor do Hospital Regional Nossa Senhora do Bom Conselho Geraldo Magela Pirauá, é um leitor assíduo do jornal. “O Jornal de Arapiraca esclarece os fatos, combate os erros, faz a opinião. É necessário à cidadania, à cultura e à política. Sem ele a cidade fica menor. Meu aplauso ao combativo jornal agora semanal”, salientou.

“Espero continuarmos firme com o projeto, que ele consiga definir a sua circulação nas cidades do interior do estado, que também é o nosso foco. Estamos hoje no Agreste, Baixo São Francisco, Maceió e Litoral Norte, queremos alcançar ainda mais o público interiorano de Alagoas. Temos uma equipe pequena, mas unida, comprometida com a isenção dos fatos, sem amarras seja de setor público ou privado”, finaliza o editor do periódico.

7 anos

Na emancipação política de Arapiraca, o JA celebra sete anos de história na terra de Manoel André. A data não é coincidência, Arapiraca é responsável pela existência do informativo, que vem ainda como ideia na década de 1980, quando dois estudantes de Comunicação Social/Jornalismo da UFAL criaram o Jornal Opção, como trabalho de conclusão do curso dos concluintes Roberto Baía e Arnaldo Ferreira. O jornal circulou durante cinco anos, chegando ao fim por divergências políticas, conforme recorda Roberto Baía, sócio e editor da empreitada que ganhou novo formato e nome trinta anos após lançamento do seu embrião.

Essa trajetória seria impossível sem a equipe, os leitores e os parceiros que confiam no trabalho desenvolvido pelo jornal.

Publicidade