Fogueiras voltam a esquentar Festa Junina

Depois de dois anos sem a realização dos festejos juninos, em virtude da pandemia de Covid-19, os alagoanos voltaram a celebrar com a liberação de eventos, fogueiras e uso de fogos de artifício em espaços públicos e privados.

O auxiliar administrativo Joel Filho, de 33 anos, que estava ansioso pela liberação dos festejos, acendeu a primeira fogueira do mês, no último domingo (12), véspera de Santo Antônio. Segundo ele, é tradição acender a fogueira em homenagem a Santo Antônio, São João e São Pedro.

“Desde pequeno faço a fogueira dos três santos. Quando morava na casa dos meus pais, eles faziam a fogueira grande, daí eu e meus irmãos fazíamos a nossa bem pequena e assim cresci. Hoje, sou casado e ensino essa tradição para os meus filhos. É uma tradição cultural e religiosa, pois também acreditamos na intercessão dos santos, que nós gostamos muito”, afirmou Joel.

A dona de casa Maria Célia, de 52 anos, disse que foram difíceis esses dois anos sem acender fogueira e poder confraternizar com a família e amigos. “Nós temos o hábito de preservar as tradições, de fazer as fogueiras, mas esses últimos anos foram bem diferentes, por causa da pandemia. Graças a Deus, tudo voltou ao normal e estamos todos animados, fazendo as fogueiras nas portas, como é de costume”, contou.

LIBERAÇÃO

Ano passado, houve flexibilização com relação a fogueiras e fogos, mesmo assim, devido à produção de fumaça, a Secretaria de Estado da Saúde (Sesau) recomendou a não utilização para evitar um possível agravamento do quadro de pacientes com doenças respiratórias, principalmente a Covid-19.

Neste ano, as únicas determinações, por parte da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Territorial e Meio Ambiente (Sedet), são de que as fogueiras juninas não ultrapassem um metro de altura e que não haja queima de madeira oriunda da Mata Atlântica.

A Sedet reforçou que as fogueiras deverão obedecer a uma distância mínima de 30 metros dos arraiais, bem como, ficar distantes da rede elétrica ou de locais onde possam ocorrer fácil combustão. 

Em caso de desobediência, o infrator responderá civil e criminalmente pelos danos que ocasionar.

ACIDENTES

Com a volta das tradicionais fogueiras e fogos de artifício, é preciso ter cuidado com os riscos de acidentes. Segundo a assessoria do Hospital Geral do Estado (HGE), em Maceió, referência no tratamento de queimaduras, o Centro de Tratamento de Queimados (CTQ) da unidade hospitalar registrou 46 atendimentos durante a época de festividades juninas.

O Corpo de Bombeiros Militar de Alagoas (CBM/AL) faz algumas recomendações quanto a utilização dos fogos de artifício: siga as instruções presentes nas embalagens, incluindo a idade indicada para sua utilização; não use fogos sem certificação.

A corporação também orienta não reutilizar os fogos em caso de falhas, defeitos ou entupimento; além de nunca transportar estes artefatos nos bolsos, por serem inflamáveis.

Sobre as fogueiras, o Corpo de Bombeiros recomenda que sejam acesas em local arejado e livre de rede elétrica ou vegetação. Brincadeiras próximas as fogueiras também devem ser evitadas, conforme o CBM.

Publicidade