GOTAS DE AMOR: BANCO DE LEITE TRANSFORMA VIDA DE MULHERES ATRAVÉS DA DOAÇÃO

Doar leite humano é doar vida. Por meio do Banco de Leite Humano, órgão pertencente à Secretaria Municipal de Saúde, a Prefeitura de Arapiraca vem transformando a vida de mulheres e salvando bebês prematuros através deste ato nobre.

Mãe de Valentina e Dante, a analista de mídias sociais Kátia Santos doou pela primeira vez em 2018, quando nasceu sua primogênita. Com o nascimento do segundo filho, voltou a ser doadora em setembro de 2022 e finalizou o ciclo quando completou um ano.

Ela define a experiência como desafiadora e enriquecedora. “Cada gota de leite doada foi uma expressão do meu cuidado e empatia pelos recém-nascidos que dependem desse alimento vital. Foi uma jornada incrível, repleta de desafios e recompensas, mas sempre motivada pela crença de que, juntas, podemos fazer a diferença em nossa comunidade”, declara.

A doadora também se mostrou grata ao Banco de Leite e elogiou todos os profissionais envolvidos, desde as enfermeiras até os voluntários. O sentimento de gratidão e dever cumprido é o mesmo por parte do órgão, que tem a honra de participar da história das mães arapiraquenses.

“Cada doadora que passa pelo Banco é de uma importância grandiosa para o nosso serviço. Não só para a gente, mas para todas as famílias e todos os bebezinhos prematuros que receberam essa doação. Além disso, cada gota doada conta, independentemente da quantidade, o leite ele vai estar ajudando a salvar vidas.”, explica a diretora, Epoliana Garrote.

Quem pode doar

Toda mulher que amamenta pode ser doadora e o processo é simples: basta entrar em contato com o Banco de Leite e preencher um cadastro, onde serão solicitados os exames realizados no pré-natal. Caso a mulher não tenha mais acesso a estes exames, o próprio banco realiza o agendamento.

Além disso, ao se tornar doadora, ela recebe um kit de materiais que auxiliam no processo, que pode ser realizado até de caso. Depois disso, todo leite que ela doar ao passará por um processo de pasteurização e controle de qualidade, sendo em seguida destinado a bebês que nasceram prematuros e estão internados na UTI Neonatal do Hospital Regional.

Publicidade