Redes sociais já são principal fonte de informação para quem deseja viajar

O viajante brasileiro tem recorrido cada vez mais às redes sociais para buscar informações sobre o destino a ser visitado. É o que diz uma pesquisa inédita do Ministério do Turismo que será apresentada nesta segunda-feira (22.01), em Brasília, pelo ministro Celso Sabino. Segundo 47% dos entrevistados, a primeira busca sobre um destino acontece nas redes sociais, seguida de amigos e familiares (45%). Apenas 22% recorrem a agências de viagens e operadores turísticos.

O comportamento cada vez mais digital se traduz também na hora da aquisição de passagens e hospedagens. Quase metade dos entrevistados – 48% – realizam a compra de forma online. No entanto, 35% ainda recorrem a pontos de venda físicos para essa contratação. Outro achado do levantamento “Tendências de Turismo” é de que 56% dos ouvidos na pesquisa admitiram preferir comprar passagem e hospedagem de forma avulsa, por conta própria, enquanto 38% preferem adquirir o pacote completo (passagem + hospedagem).

De acordo com o estudo, ainda, os brasileiros preferem organizar as suas viagens sem tanta antecedência. E para 52% o planejamento da viagem é feito com até 3 meses de antecedência, sendo que 30% começam a pensar nas férias apenas um mês antes da viagem. E na hora de embarcar para o merecido descanso, 70% dos entrevistados afirmam preferir a companhia da família, enquanto 14% preferem viajar a dois, 9% optam por viagens com amigos e 7% gostam mesmo é de viajar sozinhos.

No que diz respeito a frequência de viagem, 69% dos brasileiros afirmam ter o costume de realizar ao menos uma viagem a lazer por ano, enquanto 19% viajam a trabalho pelo menos uma vez. Quando se fala em Turismo as palavras que mais vem à cabeça dos ouvidos na pesquisa são: Viagem/Viajar (25%); Praia/Mar (14%); Passeio/Passear (4%); e Conhecer Lugares/pessoas (4%).

METODOLOGIA – O levantamento “Tendências de Turismo” foi realizado pelo Instituto de Pesquisa de Reputação e Imagem (IPRI), da FSB Holding. As entrevistas foram realizadas entre 07 e 11 de dezembro de 2023.

Ao todo, foram 2.029 entrevistas domiciliares com cidadãos a partir de 16 anos, nas 27 Unidades da Federação. A margem de erro no total da amostra é de 2 pontos percentuais, com intervalo de confiança de 95%. A amostra da pesquisa levou em consideração a distribuição proporcional da população brasileira de acordo com sexo, idade, região, escolaridade e renda.

Publicidade