Cavalgada de Nossa Senhora do Bom Conselho torna-se Patrimônio Imaterial de Alagoas

Na 21ª edição da Cavalgada em homenagem a Nossa Senhora do Bom Conselho, Arapiraca, no ano em que completa 100 anos, viveu momentos marcantes de fé e tradição. Além de mais uma vez participar da cavalgada, o deputado estadual Ricardo Nezinho deixou sua marca ao escrever um capítulo especial na história dessa celebração.

Nezinho, autor da lei que elevou a cavalgada a Patrimônio Cultural de Natureza Imaterial do Estado, testemunhou a concretização de seu empenho quando a lei foi sancionada pelo governador Paulo Dantas em dezembro de 2023. Sua participação ativa na jornada, ao lado do deputado federal Daniel Barbosa, solidificou o compromisso com as tradições de Arapiraca.

Reunindo mais de 100 cavaleiros e amazonas, a cavalgada refez o trajeto de Manoel André, fundador de Arapiraca, entre Bom Conselho (PE) e a cidade alagoana. A jornada de três dias culminou na tarde de sexta-feira, 02 de fevereiro, dia da padroeira. Nesse momento, a cavalgada chegou à cidade para entregar a imagem ao bispo da Diocese de Penedo, Valdemir Ferreira dos Santos.

Em um corredor humano emocionante, cavaleiros e amazonas seguiram até o Centro da cidade, proporcionando à população momentos intensos de devoção. A procissão pelas principais ruas de Arapiraca não apenas celebrou a padroeira, mas também reforçou os laços entre a comunidade e suas raízes históricas.

“Já participei de 20 edições da cavalgada. E tenho a honra de ser o autor da lei que transformou esta celebração de fé em Patrimônio Cultural de Natureza Imaterial do Estado. E tem um peso histórico ainda maior por ser no centenário de Arapiraca”, afirmou emocionado o deputado Ricardo Nezinho.

Publicidade