Artesãos de Maceió e filhos de Rás Gonguila se preparam para desfilar na Beija-Flor

O dia do grande desfile carnavalesco se aproxima. Artesãos, brincantes e mestres do Patrimônio Vivo junto à família de Rás Gonguila já estão com as malas prontas desde que receberam o convite da escola de samba Beija-Flor de Nilópolis para participar do desfile. Pela primeira vez na história, Maceió será homenageada no carnaval na Marquês de Sapucaí, no Rio de Janeiro, com o enredo “Um delírio de carnaval na Maceió de Rás Gonguila”.

O desfile é um meio de fortalecer a identidade cultural da cidade e promover o intercâmbio de experiências, estabelecendo Maceió como um ponto de destaque no cenário do Carnaval brasileiro. O secretário de Cultura e Economia Criativa de Maceió, Dr. Cleber Costa, destaca que a intensa preparação para o aguardado desfile da Beija-Flor enaltece as tradições, histórias e contribuições locais que serão celebradas na avenida.

É no dia 11 de fevereiro que todos entram na avenida para simbolizar a história de Rás Gonguila, um ícone que fez história com os blocos de carnaval. Para representar a memória do pai, os filhos Benedito dos Santos Filho, Osvaldo dos Santos e Silviane do Nascimento vão desfilar e mostrar que realmente possuem o sangue carnavalesco de Gonguila.

“Minha expectativa é de um grande desfile, ele tinha o bloco Cavaleiro dos Montes, que todos os anos ganhava em Alagoas, dessa vez queremos ser campeões pela Beija-Flor. É uma grande felicidade poder representar o meu pai e a cultura alagoana na Marquês de Sapucaí”, afirma Benedito, de 60 anos, filho caçula de Rás Gonguila que carrega o mesmo nome do pai.

Já o grupo de artesãos da Federação das Organizações da Cultura Popular e do Artesanato Alagoano (Focuarte), trabalharam dia e noite na confecção da renda filé para compor as fantasias e os carros alegóricos. Seis integrantes vão desfilar na alegoria e outros nove na ala quatro.

Uma delas é a mestra Ivonete Santos, Patrimônio Vivo do Artesanato, que trabalha desde os seis anos de idade. Hoje, aos 81, a rendeira carrega uma bagagem de 75 anos fazendo os bordados de filé.

“Foi uma grande alegria quando falaram comigo, procurei terra no chão e não achei, uma nordestina e analfabeta vai representar a capital depois de 80 anos. Morei dois anos no Rio de Janeiro e assistia pela TV as escolas de samba, lembro como se fosse hoje que um dia falei: quem me dera estar ali. Era um sonho e agora vou realizar”, diz.

Mestra Ivonete Santos, Patrimônio Vivo do Artesanato (Foto: Jonathan Lins/Secom Maceió)

Momento único e extraordinário

O presidente da Focuarte, João Lemos, afirma que, desde o anúncio, todos os artesãos acompanharam o enredo, a trajetória e evolução do processo de criação das alas e alegorias.

“É um momento único, de muita alegria e, sobretudo, de protagonismo dos verdadeiros detentores do nosso grande triunfo, o Filé. Todo incentivo da Prefeitura foi necessário porque a gente vivia numa cultura adormecida. Um dos carros onde os mestres vão desfilar traz a riqueza dos nossos folguedos e o colorido do nosso artesanato, isso não tem preço. Então, sem dúvidas, é um momento de valorização e empoderamento dos fazeres e saberes de nosso povo”.

João ainda complementa que a chegada no Rio de Janeiro é uma experiência extraordinária e denomina Rás como um brincante multicultural. “É inacreditável, a ficha ainda não caiu. É um orgulho saber que Rás-Gonguila é esse brincante multicultural que Alagoas teve e foi um ícone da cidade de Maceió. Não tem palavras que descreva a importância disso para todos nós”, finaliza.

Alguns influenciadores que divulgam espontaneamente o destino Maceió receberam o convite para prestigiar o grande desfile na Sapucaí, como Rico Melquiades, Diogo Ordinário, ⁠Ygor Ordinário, Guga Rocha, Hugo Novaes, Gabô Pantaleão, Álvaro, Abraão, ⁠Marina Ferrari, Mariah Morais, Sayonara, Rafaela Cocal, ⁠Yara Barbosa, ⁠Apoline, Gabriela Sales (Rica de Marré), Cafu, ⁠Lu Balestero, ⁠Eliezer Seton, Marcio Canuto, ⁠Carlito Lima e Cacá Diegues.

Publicidade