Diretores de Pindorama e ZEG se reúnem para fechar detalhes da parceria para instalação de unidade de produção de biogás e biometano

A Pindorama será a primeira cooperativa agroindustrial do Norte-Nordeste a implantar uma unidade de produção de biogás e biometano. A parceria com a ZEG Biogás foi consolidada na manhã desta quinta-feira, 14, quando representantes das duas empresas realizaram as últimas tratativas para a assinatura do contrato, o que deve ocorrer dentro dos próximos 15 dias. 

Com um investimentos inicial orçado nas casa dos R$ 65 milhões, a planta deve ter suas obras iniciadas ainda neste primeiro semestre, em uma área de aproximadamente 5 hectares, cedida pela Pindorama. 

De acordo com o CEO da ZEG Biogás, Eduardo Acquaviva, a expectativa é de que a planta já esteja operando a no segundo semestre de 2025, com uma produção anual estimada em 6 milhões de metros cúbicos de biogás e biometano. 

“Um importante projeto está sendo desenvolvido em conjunto com a Cooperativa Pindorama. Estamos falando da instalação de uma planta para produção de biometano. É um combustível renovável e sustentável que, a partir da vinhaça, que é o resíduo da produção de etanol, a gente transforma em biometano. Ele é renovável, está 100% alinhado com as políticas de descarbonização, pode substituir combustíveis fósseis, como o diesel, para transportes, e o gás natural, para a indústria. Esse projeto coloca a Cooperativa Pindorama nas rotas de descarbonização, na transição energética, que é de tão importante impacto para toda a sociedade. 

A expectativa é que no segundo semestre de 2025 a gente esteja com esse projeto concluído, instalado, e iniciaremos a produção e comercialização desse combustível, que também trará mais uma fonte de receita, agregando valor para a Cooperativa Pindorama. Esse é um importante passo para a ZEG Biogás e para a Cooperativa Pindorama, uma parceria que já nasce forte”, disse Acquaviva. 

Segundo Fernando Mayer, gerente comercial da ZEG Biogás, a projeção é de que a produção anual corresponda ao volume de 30 mil litros de óleo diesel produzidos todos os dias no período de um ano. 

“Com esse volume, estima-se que serão evitadas a emissão de 20 mil toneladas de gás carbônico na atmosfera anualmente com a substituição da matriz fóssil pela renovável”, calculou Mayer. 

Klécio Santos ressaltou o pioneirismo da Cooperativa Pindorama. 

“Seremos protagonistas de mais um projeto inovador aqui no Nordeste, que é a captação do biometano proveniente da nossa produção de vinhaça, um projeto muito interessante por vários aspectos, entre eles a questão ambiental. Com isso a gente contribuirá em muito para o bem do planeta”, comemorou Klécio Santos. 

Conforme previsão de Fernando Mayer, o biometano substituirá combustíveis fósseis na região. 

“Com isso, podemos estimar redução de emissões por volta de 17 mil toneladas de CO₂ por ano. Além do aspecto ambiental do projeto, geraremos novos empregos localmente, o que movimentará a economia e contribuirá positivamente para o desenvolvimento regional”, disse. 

CEO da ZEG Biogás, Eduardo Acquaviva 

Da reunião que consolidou a parceria participaram, representando a Cooperativa Pindorama, o presidente Klécio Santos, o vice Carlos Roberto Santos e o diretor-secretário Antônio de Oliveira. Da parte da ZEG, estiveram presentes Eduardo Acquaviva, CEO ZEG Biogás; Gilvan de Sá, gerente da Vibra Energia para a região Nordeste; Leonardo Lamounier, especialista financeiro da ZEG; Wagram Barros, executivo de Vendas Vibra, e Fernando Mayer, gerente comercial da ZEG.

Publicidade