Coité do Nóia: vereadores da base do prefeito votam contra prestação de contas dos precatórios

Por cinco votos contrários e três a favor, os vereadores da base do prefeito Bueno Higino, o Bueninho (PP), em Coité do Nóia, arquivaram o requerimento do vereador
João Fernando (MDB) que solicitava a prestação de contas dos precatórios do antigo Fundo de Manutenção e Desenvolvimento do Ensino Fundamental e de Valorização do Magistério (Funedef).

O valor é milionário e ultrapassa R$ 10 milhões, mas os vereadores adiaram por duas semanas a votação, que aconteceu na última quinta-feira (14), em sessão realizada na Câmara Municipal.

Cinco vereadores da base do prefeito votaram contra o requerimento. Três vereadores votaram a favor do requerimento, e o presidente da Câmara não votou. Ele só votaria se houvesse empate.

De acordo com o autor do requerimento, o vereador João Fernando, a gestão do prefeito Bueno Higino, o Bueninho (PP), não apresentou a prestação de contas referente ao ano de 2022, no total de R$ 2.030.623,48, e a prestação de contas do exercício de 2023, no valor de R$ 8.012.274,44.

Ele explica que os valores estão no site do Sistema de Informações Sobre Orçamentos Públicos (SIOPE).

João Fernando estuda a possibilidade de acionar o Ministério Público Estadual (MPE/AL) para tornar pública a prestação de contas e saber o que foi feito com os recursos financeiros dos precatórios do antigo Fundef.

Publicidade