Professor Arnaldo Rocha critica pré-candidatos a prefeito de Arapiraca e alerta: “Acorda povo!”

Professor rechaça candidatura bolsonarista e acusa Barbosa de má-gerenciamento na Educação

Arapiraca, uma das cidades mais importantes de Alagoas, se encontra em um momento crítico com a aproximação de eleições que prometem definir os novos contornos de seu desenvolvimento político e social. Em meio a um cenário eleitoral cada vez mais polarizado, o Professor Arnaldo Rocha, reconhecido dirigente do Sindicato dos Trabalhadores em Educação de Alagoas (SINTEAL), lança um olhar crítico sobre a conjuntura política atual da cidade, destacando-se como uma voz ativa em defesa dos direitos dos profissionais da educação.

Com a eleição batendo à porta, a cidade de Arapiraca se vê dividida entre candidatos com visões distintas para o futuro. Entre eles está Fabiana Pessoa, pré-candidata pelo Partido Liberal, cuja plataforma e ideologia política aliada à Bolsonaro, não agrada o veterano professor, que declara: “Estou fora!”.

Por outro lado, o atual prefeito e pré-candidato à reeleição, Luciano Barbosa, recebe elogios de Rocha por suas iniciativas de melhorias na infraestrutura urbana. No entanto, o mesmo não se pode dizer sobre seu histórico na educação. Rocha critica severamente a gestão atual pela deterioração da qualidade do ensino em Arapiraca, apontando promessas de aumentos salariais para professores como manobras eleitoreiras, e não como parte de um compromisso real com o progresso educacional.

A questão dos concursos públicos, aguardados desde 2021 sem concretização, também entra no radar de críticas do professor. A ausência dessas seleções evidencia, segundo Rocha, uma desvalorização dos profissionais da educação que lutam por reconhecimento e remuneração justa. O Plano de Cargos, Carreiras e Salários (PCCS), prometido como um mecanismo de valorização, emerge como mais uma promessa não cumprida, alimentando o descontentamento entre os trabalhadores.

Diante desses desafios, o Professor Arnaldo Rocha faz um apelo à população de Arapiraca: “Acorda, povo”. Ele enfatiza a necessidade de uma conscientização crítica por parte dos eleitores para escolherem lideranças verdadeiramente comprometidas com o avanço coletivo, especialmente no que tange à educação — pilar fundamental para o desenvolvimento sustentável da cidade.

As próximas eleições representam, assim, um ponto de inflexão para Arapiraca. A análise detalhada de Rocha aponta para a urgência de soluções políticas autênticas e eficazes, convidando os cidadãos a um engajamento ativo no processo eleitoral. A esperança é que, através da escolha informada de seus representantes, Arapiraca possa trilhar um caminho de reforma educacional e progresso social, delineando um futuro mais promissor para todos os seus habitantes.

Publicidade