Morro Santo da Massaranduba recebe a Paixão de Cristo nos dias 29 e 30 de março

O espetáculo Paixão de Cristo, que é uma das obras mais reproduzidas no mundo, terá sua versão arapiraquense nos dias 29 e 30 de março. Este ano, promete ser ainda mais especial, pois marca o centenário de Arapiraca e o retorno ao Morro Santo da Massaranduba.

A preparação para o espetáculo começou ainda em fevereiro com ensaios e reuniões para o evento, que se consagrou como um dos maiores ao ar livre no estado, trazendo nomes nacionais como Thiago Fragoso, Murilo Rosa e Cristiane Oliveira, esse ano o ator Maurício Mattar, que fará o papel de Pilatos. A relevância da apresentação foi consagrada em 2011, ao se tornar Patrimônio Imaterial do Estado de Alagoas. 

Para o diretor geral, Wagno Godez, a parceria com Prefeitura e Secretaria de Cultura, Lazer e Juventude tem sido fundamental para que o espetáculo aconteça. “Nós temos uma sociedade em sua maioria cristã, que vê no espetáculo uma manifestação de fé e que mobiliza e emociona multidões. Estamos emocionados e empolgados com a possibilidade de realizar mais uma edição e toda equipe está trabalhando com muito carinho e comprometimento para fazer essa uma edição de fato especial e temos tido total apoio da Prefeitura de Arapiraca e Secretaria de Cultura, sem esse apoio das instituições públicas a gente certamente não conseguiria realizar”.

No último dia 15, o elenco se reuniu com a direção e imprensa para uma coletiva com os veículos de comunicação. O encontro contou com a presença do elenco, o ator Paullo Caetano que dará vida a Jesus, as atrizes Josy Carvalho e Márcia Mariah, que farão os papéis de Maria e Maria Madalena, respectivamente. Além do ator convidado Maurício Mattar que desde então tem se entrosado com os colegas de cena. Mattar interpretará Pilatos, que na história bíblica fica conhecido por lavar as mãos diante da crucificação de Jesus, o ator já o interpretou em uma montagem em Nova Jerusalém. Segundo ele, mesmo que o personagem represente essa indiferença, ele dará o seu melhor para que o público consiga se identificar. “O público pode esperar ternura, entrega e amor. Eu sempre, quando faço um trabalho, seja ele qual for, eu procuro sempre me entregar. Fazer o máximo que eu posso, dentro da minha sabedoria, da minha experiência, do que eu aprendi até hoje, do que eu vi, vivi, li e senti. E eu acho que vai toda emoção para personagem. E agora não vai ser diferente”, revelou o ator que já participou também de novelas bíblicas da TV Record.

Para a arapiraquense Márcia Mariah poder participar desse espetáculo que assistia durante sua infância é um privilégio. “Eu sou arapiraquense, nasci nessa terra maravilhosa e tenho muito orgulho de voltar e fazer o que eu mais gosto na vida, que é interpretar. Foi aqui que começou tudo, né? Foi no Canaã que eu me manifestei pela primeira vez como artista, foi no Pátio da Escola Pedro Reis que eu representei a Moreninha e passei tantos momentos especiais aqui na minha infância, na minha adolescência que é duplamente emocionante, não só fazer papel da Maria Magdalena que é uma personagem importantíssima na história de Jesus como também é mais emoção voltar na terra natal e poder ter essa oportunidade de fazer aquilo que eu mais amo na vida, que é interpretar”, destacou.

A sintonia de elenco e rpodução é perceptível, todos com o mesmo objetivo: entregar ao público um espetáculo à altura da grandiosidade do Morro Santo, do centenário e do público também. “A gente resolveu retomar o espetáculo depois de 9 anos. A Associação dos Artistas de Massaranduba novamente fazendo esse que se tornou um dos maiores espetáculos a céu aberto de Alagoas. A expectativa é que a gente ofereça à sociedade alagoana um espetáculo de qualidade técnica e sobretudo de emoção. Com o envolvimento dos produtores, técnicos, elenco local e abrilhantado com a participação do nosso querido Maurício Mattar. Então a expectativa é que a gente faça um espetáculo à altura do povo alagoano”, declarou o diretor Wagno Godez.

A “Paixão de Cristo de Arapiraca” teve sua primeira apresentação em1995, pelas mãos do grupo Asas da Liberdade e depois foi ministrado pela Fundação Morro Santo. Hoje, a AAMA é quem assina a produção com a N.A Produções Artísticas e a Prefeitura de Arapiraca.

Fonte: Jornal do Interior/ Lysanne Ferro

Publicidade