Aliados em Maceió, Cunha e JHC estarão em palanques adversários em Arapiraca

Há pouco mais de seis meses para as eleições municipais em Arapiraca, dois importantes líderes políticos alagoanos, o senador Rodrigo Cunha (Podemos) e o prefeito de Maceió, João Henrique Caldas, o JHC, (PL) devem figurar em palanques opostos na sucessão municipal.

Conhecidos pela parceria na capital alagoana, os dois seguem rumos apostos e já articulam estratégias e vão apoiar projetos distintos na segunda maior cidade de Alagoas.

Presidente estadual do Podemos, Rodrigo Cunha apoiará a pré-candidatura de Luciano Barbosa (MDB) que ruma para a reeleição. Barbosa realiza uma gestão com obras estruturantes em Arapiraca, tem apoio do senador Renan Calheiros (MDB) e uma avaliação positiva de 70 % da população, segundo as mais recentes pesquisas de opinião pública
em Arapiraca.

Já o prefeito de Maceió, JHC, se reeleito na capital, pode ser um virtual candidato a governador em 2026 e, por conta disso, começa a montar bases em cidades estratégicas e com forte densidade eleitoral, como é o caso de Arapiraca, que tem cerca de 160 mil eleitores.

Prova disso aconteceu nesta segunda-feira (dia 1º), no ato de filiação da ex-prefeita Fabiana Pessoa ao Partido Liberal (PL).

O evento político aconteceu na Câmara de Vereadores de Arapiraca e reuniu também os deputados estaduais Cabo Bebeto (PL), vereador Leonardo Dias (PL) e o ex-deputado estadual Tarcizo Freire, que deve sair do PP de Arthur Lira, que apoia Luciano Barbosa em Arapiraca.

Agora filiada, Fabiana Pessoa passa a presidir o diretório municipal do PL na Capital do Agreste.

JHC não foi ao ato de filiações, mas enviou o seu representante e articulador político, o secretário de Governo Júnior Leão, que também é arapiraquense.

Também nesta segunda-feira (dia 1º), o senador Renan Calheiros (MDB) esteve em Arapiraca e participou de um grande ato de filiação, na sede do diretório municipal do partido, ao lado do prefeito Luciano Barbosa, secretários municipais, vereadores, ex-vereadores e lideranças empresariais da cidade. 

Analistas políticos locais observam a movimentação partidária como um reflexo do que deve ocorrer na eleição para governador em 2026 em Alagoas.

Publicidade