Brasil passa de 4 milhões de casos prováveis de dengue

Apenas em 2024, o Brasil acumula 4.127.571 casos prováveis de dengue. Os registros dos últimos três anos foram: 531 mil casos em 2021; 1,420 milhão em 2022 e 1,649 milhão em 2023, que somados chegam a 3,601 milhões. Além disso, 1.937 mortes foram confirmadas e outras 2.345 estão sendo investigadas.

Neste ano, o Brasil já bateu os recordes de números de casos prováveis e de mortes registrados (1.937 mortes) pela doença na série histórica. O número mais alto de mortes era de 2023, com 1.179 registros. Já o ano com o maior número de casos era 2015, com 1.688.688.

São Paulo é a unidade da federação com mais óbitos registrados em 2024, com 468, seguido por Minas Gerais (318), Distrito Federal (290), Paraná (221) e Goiás (137). Somadas, as cinco UFs acumulam 73% do total de óbitos.

O Distrito Federal é a unidade da federação com maior taxa de incidência de casos prováveis, com 8.507,9 casos por 100 mil habitantes. Minas Gerais, Paraná, Espírito Santo e Goiás aparecem em seguida, somando 54% do número absoluto de casos.

A faixa etária que mais registra casos de dengue é de 20 a 29 anos, com mais de 761 mil casos, o que representa quase um em cada cinco casos. Na separação por gênero, as mulheres são a maioria a contrair a doença (55,1%). 

Ainda segundo os dados do Ministério da Saúde, até a última segunda-feira (29), as informações de casos de morte causadas por dengue na região nordeste são as seguintes: 

Bahia – 64 casos. 

Piauí – 6 casos.

Maranhão: 4 casos.

Paraíba: 3 casos. 

Alagoas: 3 casos. 

Sergipe: 3 casos

Rio Grande do Norte: 1 caso.

Ceará: 1 caso. 

Pernambuco: nenhum caso registrado. 

A região norte traz o menor número de óbitos registrados. Apenas 13 casos para toda a região. 

Publicidade